Pesquisar este blog

segunda-feira, 25 de julho de 2016

ENTREVISTA EXCLUSIVA COM MESTRE EDSON KUDO, REFERÊNCIA DE WRESTLING NO BRASIL



Por Redação Terceiro Tempo - 14/05/2015 12:31

Edson Kudo, 49, traz aos seus treinos a intensidade do wrestling e a disciplina dos antigos mestres japoneses. Uma equação que o levou ao reconhecimento no cenário nacional de lutas o tornando referência na luta olímpica.

Flávio Álvaro, Eduardo Pamplona e Fábio Negão são alguns dos destaques do MMA nacional que já passaram por seus treinos além de nomes fortes do wrestling brasileiro como a atleta olímpica Rosangela Conceição e um dos principais nomes da modalidade Renato Roma.

Em entrevista exclusiva ao Terceiro Tempo fala do trabalho focado em lutadores de rendimento e também os sedentários que buscam desafios e como se trabalhar o lado psicológico de um atleta.

Você é conhecido pelo fato de seus treinos serem considerados árduos. Qual sua opinião em relação às lesões com esse tipo de treinamento?
Se todos pudessem escolher entre um caminho mais fácil e outro difícil para chegar ao sucesso certamente escolheriam o mais tranquilo. Só que não existe caminho fácil para chegar ao sucesso. Todo atleta que almeja ser um campeão primeiramente terá de mudar seu pensamento e sua conduta.
O treinamento de wrestling realmente é muito intenso, mas a probabilidade de causar lesões é mínima, porque o tempo exposto nessa frequência de treino também é mínimo sendo no máximo uma hora. Lesões acontecem quando não há um planejamento ou uma periodização. Posso afirmar que nenhum atleta que treinou comigo teve lesões.

Quais são as principais deficiências dos lutadores brasileiros de MMA?
Temos muitos talentos não só no MMA, mas em outras modalidades também. Para você vencer um combate não basta ter apenas uma boa técnica, um bom condicionamento físico e psicológico. Isso com certeza vai te ajudar muito, mas outro detalhe que para mim é fundamental e que decide um combate se chama “Tática”. Um bom lutador teve ter no mínimo duas táticas para surpreender seu adversário. Quando você precisa melhorar seu condicionamento físico todos sabem o que fazer. Quando você precisa melhorar sua técnica basta repetir inúmeras vezes a mesma sequencia de golpes. Porém, como elaborar uma boa tática? Essa é a maior dificuldade dos técnicos e atletas. Pensando nisso criei os seis princípios de uma tática, ou seja, sabendo esses princípios o lutador poderá surpreender qualquer adversário independente da sua estatura, peso ou força.

Qual a diferença de uma aula particular para um treino coletivo?
Eu sempre falo para os alunos que pretendem seguir esse caminho: um bom mestre e/ou técnico deve agir sempre com energia e entusiasmo, independente se na aula tem um ou cem alunos. A energia gasta deve ser a mesma.
Por isso, a aula pode ser coletiva, mas a atenção é sempre individual.
Quem teve aula particular comigo, sabe que sou exigente porque quero ver resultado e a satisfação do aluno em curto prazo de aproximadamente um mês. Ninguém tem paciência para treinar seis meses à um ano para ver o resultado. Se você é um especialista no que faz deve resolver o problema imediatamente e rápido. Caso contrário você ainda é um aprendiz...

Você ministra seminários para lutadores profissionais de MMA e submission em todo Brasil. O que te motiva a assumir esses compromissos, sendo que você também é piloto de helicópteros, tem uma associação de MMA e ainda um projeto social com crianças carentes?
Realmente meus compromissos diários são bem corridos.
Tenho uma filosofia de vida que herdei do meu avô Shungoro Wako.  Ele foi um homem que através de seu conhecimento ajudou milhares de imigrantes japoneses quando desembarcaram em nosso país. Foi convidado e condecorado pelo Imperador Hirohito do Japão pelos benefícios prestados a Comunidade japonesa no Brasil. Esse exemplo me motiva a seguir adiante e posso dizer que até hoje recebo e-mails de atletas que se beneficiaram com meu seminário. Isso não tem preço... Muitas vezes enxergo qual o problema do lutador só de o ver treinando. Normalmente são apenas um ou dois detalhes, mas se não forem corrigidos rapidamente o tempo passa e a carreira também. Um bom técnico é fundamental para o sucesso de um atleta.

Como você consegue manter a flexibilidade, Velocidade e Força que o wrestling exige aos 49 anos?
Puxa descobriram minha idade?!
Acho que um dos erros de um técnico ou mestre é abandonar os treinos e dedicar-se apenas a dar aulas. Faz muita diferença quando você executa uma técnica com perfeição mostrando os detalhes aos alunos.  Se conseguir treinar melhor ainda, porque descobre os pontos fracos de cada lutador. Manter a forma na minha idade é difícil, independente da modalidade, mas o wrestling exige muito treino especifico principalmente treino de velocidade e explosão muscular. Quanto à musculação é importante trabalhar com menos carga porque depois dos 35 anos ninguém fica mais forte. Respeite sua idade sempre. Em breve vou lançar no site da associação meu treino

Você só treina lutadores ou pessoas comuns também poderão treinar com você?
Para você ter uma ideia, estava treinando um Cônsul que queria melhorar seu condicionamento físico para depois aprender a lutar. Resultado emagreceu 20 kg e aprendeu a lutar MMA.  Acredita?!
Como treinador da Seleção Brasileira, aprendi uma lição: um bom treinador e/ou mestre tem que ter a capacidade e o dom de transformar sonhos em realidade de qualquer pessoa. Seja lutador ou não.

Atualmente estou em um projeto para a construção de um centro de treinamento de lutas para crianças carentes em Itaim Paulista.
Gostaria de agradecer a todos e quero deixar uma mensagem de reflexão: um cientista queria provar que o pensamento negativo pode matar. Para provar, conseguiu um criminoso que estava no corredor da morte para ser executado. Fez um acordo com esse preso dizendo que ele cortaria seu pulso e o sangue iria se derramar até esgotar por completo. Imediatamente o preso aceitou. Era melhor do que ser eletrocutado.  Amarrado e com os olhos vendados numa cama, o cientista fez um corte superficial em seu pulso sem atingir nenhuma artéria e colocou logo abaixo da cama uma vasilha para que o criminoso pudesse escutar seu sangue pingando. Sem que ele percebesse o cientista colocou uma mangueira bem fina no seu pulso e abriu a torneira que era apenas soro pingando na vasilha e não sangue, como pensava o criminoso. Passado alguns minutos o cientista começou a fechar a torneira e logo surgiram os primeiros sintomas: pressão começou a disparar, coração, pulmão... Enfim tudo alterou. Passada uma hora o cientista foi fechando lentamente a torneira até que o individuo acabou tendo uma parada cardíaca e morreu. Conclusão: com isso ele conseguiu provar que o pensamento negativo altera todo nosso sistema e pode matar. Esse criminoso morreu sem perder uma gota de sangue.
Pense positivo e sua vida mudará. Obrigado a todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário